Parei Para Assistir: As Palavras



                       
                                                As Palavras

 Direção: Brian Klugman e Lee Sternthal

Elenco: Bradley Cooper; Zoe Saldana; Dennis Quaid...

Duração: 1h36min

Classificação: 4/5

Sinopse: Rory Jansen (Bradley Cooper) é casado com Dora (Zoe Saldana) e trabalha em uma editora de livros. Ele sonha em publicar seu próprio livro, mas a cada nova tentativa se convence mais de que não é capaz de escrever algo realmente bom. Um dia, em uma pequena loja de antiguidades, ele encontra uma pasta com várias folhas amareladas. Rory começa a ler e logo não consegue tirar a história da cabeça. Logo ele resolve transcrevê-la para o computador, palavra por palavra, e a apresenta como se fosse seu livro. O texto é publicado e Rory se torna um sucesso de vendas. Entretanto, tudo muda quando ele conhece um senhor (Jeremy Irons) que lhe conta a verdade por trás do texto encontrado.


"Minha tragédia foi amar mais as palavras, 
do que a mulher que me inspirou a 
escreve-las..."

Hey amores! O que dizer de um filme que você assisti por acaso, e no final já o tem como seu favorito? Não consegue parar de pensar, refletir e respirar o conteúdo visto? Quando  dura muito além do que as horas que você ficou assistindo? Eu também não sei bem o que dizer a respeito de As Palavras. Sabe aquele filme que depois de assistir você fica se perguntando porque não o tinha visto antes? E ele simplesmente começa a fazer parte de você? É assim que me sinto em relação a ele.

Quando me perguntavam qual o meu filme favorito, eu sempre ficava sem saber exatamente o que responder. Costumava responder com um filme que eu adoro! Mas que não é realmente o meu filme favorito, pois sempre me vinham mil filmes a mente. O que eu dizia era só minha resposta pronta. Mas nunca senti isso de verdade, de você amar tanto um filme a ponto de quando perguntarem qual seu filme favorito, você responder sem pensar. Porque esse é o único filme que vem a cabeça sempre. E pela primeira vez, eu senti isso! Não preciso mais pensar. Me perguntam e eu respondo sem nenhuma hesitação! As Palavras...

Esse filme realmente me tocou. Não sei ao certo o que foi, mas me peguei presa tão fortemente a história do filme que ficou difícil de explicar. O filme não é uma grande produção, daquelas que tem um milhão de efeitos sonoros, ou visuais. Não é um daqueles que tem reviravoltas estonteantes, nem tema surpreendente. Ele é só... ele. Um filme doce, muito simples, e tocante.

Estive aos prantos em várias cenas, e volto a dizer que não sei exatamente o que foi que me fez chorar. Talvez tenha sido a história de vida dos personagens, ou a profundidade de tantas vidas incrustadas nas páginas de um livro. As possibilidades são muitas, e com certeza foi a obra em conjunto que me emocionou.

O filme traz a história de um escritor lançando seu livro, chamado As Palavras. O livro aborda a história de um autor lançando seu primeiro livro, A Janela De Lágrimas. E por isso o filme é divido em dois planos. No tempo real, onde o escritor vai lendo seu livro para uma enorme plateia que acompanha o lançamento. E a história do livro, onde vemos pela perspectiva dos personagens do livro o que acontece na história.

No livro o jovem escritor,Rory Jansen, tem quase tudo que queria. É casado com a mulher que ama, tem o apoio da esposa de sua amorosa família para tudo, e deseja se tornar um escritor de sucesso. E embora tenha talento e o apoio necessário para conquistar seu sonho, se encontra em momento difícil após tantas rejeições para como o seu trabalho.  E como tantos escritores da vida real, Rory, começa a se questionar sobre seu talento e determinação. Mas a sorte parece querer dar um empurrãozinho a ele, e um dia ele encontra um manuscrito sem nenhuma identificação. Ainda do tempo em que se escrevia com a máquina de escrever. A história é realmente muito boa para ser dispensada, e ele resolve assumir a autoria do livro. Transcrevendo tudo do papel para seu computador, sem mudar nem mesmo uma vírgula. E logo o livro é um sucesso. Ele só não contava com o surgimento de um senhor que lhe revelaria a história complexa e emocionante por trás de toda aquela história.

" E aí está ele. Garoto bobo, com sorriso bobo no rosto."

Com uma atuação inquestionável, Bradley Cooper, que interpretou Rory Jansen. Me fez questionar várias coisas de minha própria vida, assim como me emocionou muito durante o filme. De um modo leve, mais muito bem desenvolvido. Vemos seu personagem se transformar bem diante de nossos olhos. O desenvolvimento do filme é contagiante! Com mais de uma história se desenvolvendo de formas alternativas dentro do filme, nos vemos perdidos e presos a um turbilhão de emoções, vidas, amores, perdas e palavras. A Zoe também teve uma atuação impecável, e um papel fundamental na história. A relação dela com Rory é linda, e crível. Não é daqueles amores que não existem na vida real. É bem normal, rotineiro, simples. Como quase tudo no filme é.

" Eu não sou, quem eu pensei que era."

O desenrolar da história é surpreendente! E uma única revelação, é o suficiente para fazer a trama dar voltas e mais voltas, em torno de uma só questão. Quanto é que vale, e até onde você iria para conseguir o quer? Como concertar um erro que te levou a glória? E são esse tipo de questões que Rory tem que enfrentar. E tentar decidir o que fazer, antes que sua indecisão e confusão destruam sua vida.
" Todos nós fazemos escolhas. 
O difícil, é conviver com elas..."

Um filme complexo em sentimentos, cheio de emoções verdadeiras, com questionamentos reais e personagens sensíveis. Um filme sobre livros, amores e palavras. Não tinha como não me apaixonar. Com uma trilha sonora divina! É como um bálsamo na correria da vida. 

No primeiro plano do filme, temos acesso a um escritor renomado, Clay, que está lançando mais um de seus livros. Em uma faculdade. E temos uma mulher sedutora que irá abordá-lo logo no início do filme. Deixando não só a ele, mas a todos nós muito curiosos. E logo que a trama vai se desenrolando vamos descobrindo o que ela realmente quer.  A atuação de ambos também é ótima. Com um desenrolar mais simples o primeiro plano nos reserva uma grande surpresa para o final. 

" O que tinha afazer, o que tinha a perder, ele lacrou. 
Como se guardar o segredo de um homem, pudesse mudar sua história."

Pode não parecer, mas Rory e Clay tem muito mais em comum do que se pode imaginar. Um filme simples com o poder de nos prender desde o início, quando ainda parece ser um suspense, ideia que logo se desmancha com a história dramática que começa a se desenvolver. 

Com certeza um dos melhores filmes sobre livros que eu já assisti na vida. E ao contrário do que imaginei, o roteiro foi escrito especialmente para o cinema. O que tornou tudo mais mágico. Adorei o filme, mesmo sendo super simples, sem muitas surpresas, ou cenários deslumbrantes, sem muito detalhismo. Encontrei na simplicidade a perfeição. Ele com certeza não é perfeito, ele se tornou perfeito para mim, quando percebi como conseguiu me tocar mesmo sendo tão simples. Por isso gostei tanto. Indico para quem curte um bom drama e quem assim como eu é adepta a filmes sobre livros, e adora trilha sonora instrumental, com uma boa pegada clássica. 

Mais um detalhe, o compositor da trilha sonora é Brasileiro. Nascido em São Paulo, radicado americano, já assinou várias trilhas sonoras. E essa em especial, completou o filme de um modo sem igual. 

" Um dia, vai ter que escolher entre a vida,e a ficção. 
As duas são muito próximas, mas nunca se tocam." 


Espero que tenham gostado!
Bjokas e até a próxima.



4 comentários:

  1. Parabéns, você foi majestosa em sua resenha, por conta dela fiquei curiosa para assistir ao filme, vou procurá-lo.

    ResponderExcluir
  2. Oi flor! Obrigada!!! Fico muito feliz que consegui fazê-la querer assistir ao filme. E lhe garanto, não vai se decepcionar!
    Volte sempre! Bjokas...

    ResponderExcluir
  3. Lindo filme amei!! E realmente o final é surpreendente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hey, Lorena!
      Que bom que gostou do filme. Ele é um dos meus favoritos! A sensibilidade, delicadeza e o suspense, são muito bem construídos e explorados. É lindo, tocante e marcante. Amo!
      Mil beijokas e volte sempre!!

      Excluir

Quer me fazer feliz, ou curtiu a matéria? Comente! Sua opinião é o mais importante! Ah, deixe seu link que terei prazer em retribuir o carinho ;)

© Nome do seu Blog - 2016 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Jaque Design | Tecnologia do Blogger.
imagem-logo